17 fevereiro 2009

NOTA:

"...Deixando o Impressionismo para trás em obras anteriores,
Elisabete encontra agora fortes influências de movimentos das primeiras décadas do séc. XX, expressionismo, cubismo, abstraccionismo, surrealismo e futurismo - tal como a própria pintora afirma; «... pintura em estilos diferentes».

Dentro das várias expressões de um carácter místico-cósmico que compreende um universo de extremo simbolismo e significados descobre-se em cores frias e quentes paisagens de ambientes envolventes de profundidades quase impossíveis...

Os traços fortes, que fazem surgir as formas geométricas entre as leves e aguadas pinceladas, criam um jogo de contrastes de leveza e estático de sonho e realidade.

A sua pincelada também larga e forte, a gama cromática compõe-se de cores violentas e radiantes as composições são simplificadas com superfícies livremente preenchidas.

... Uma porta aberta para o infinito de estruturas cósmicas, o jogo da profundidade e sentimento num universo que Elisabete nos deixa entrar.

Critica de Arte
Ana Faustino

1 comentário:

Anónimo disse...

Felizmente que existem críticos que descrevem de uma forma profissional as diversas caracteristicas das obras, nos aproximam da propria artista, e conseguem de certa forma colocar em palavras o que um leigo sente...

Talvez não me tenha expressado bem, mas fiquei maravilhada com as obras de Elisabete Barradas e com esta crítica também...
CMC